Saiba como promover o desenvolvimento harmonioso do seu bebé

Neste dia internacional da felicidade, o que pretendemos com este artigo é fazer cumprir uma premissa que todos conhecemos “A tua felicidade é a minha felicidade”.

Ter um filho é uma das experiências mais maravilhosas e marcantes que uma mãe e um pai podem viver, para não dizer a melhor das suas vidas. A felicidade e o bem-estar de um filho é uma prioridade para todos os pais, tal como o seu pleno desenvolvimento.

A importância das brincadeiras no desenvolvimento do seu bebé

A infância é um período no qual as crianças devem ter espaço para brincar.

As brincadeiras têm uma influência determinante no desenvolvimento cognitivo, psicossocial e emocional dos bebés. E os pais têm um papel fundamental na promoção deste crescimento contínuo. Na verdade, quanto mais tempo de qualidade passar com os seus filhos, mais saudáveis e felizes eles serão. Por esse motivo, estes momentos devem ser vividos com muita alegria, através da promoção de brincadeiras que permitam o desenvolvimento significativo não só do seu bebé, mas também dos laços emocionais entre ambos.

As brincadeiras permitem que o seu bebé desenvolva várias capacidades, nomeadamente a imaginação e a criatividade, mas também a independência e a autorregulação das emoções. Brincar possibilita um melhor autoconhecimento do seu corpo e dos seus limites, mas também do mundo que o rodeia.

Além disso, brincar:

– Estimula a atenção;

– Desenvolve o pensamento e o raciocínio;

– Ensina a lidar com a frustração e a adaptar-se às circunstâncias, tornando-se mais resiliente às dificuldades;

– Aumenta a capacidade de se relacionar e interagir com os outros;

– Desenvolve a expressão e a comunicação;

– Desperta a curiosidade.

Como forma de celebrarmos este Dia Internacional da Felicidade e de homenagearmos os pais que contribuem para a alegria dos seus filhos, apresentamos um poema de Fernando Pessoa dedicado às crianças.

Quando as crianças brincam

E eu as oiço brincar,

Qualquer coisa em minha alma

Começa a se alegrar.

E toda aquela infância

Que não tive me vem,

Numa onda de alegria

Que não foi de ninguém.

Se quem fui é enigma,

E quem serei visão,

Quem sou ao menos sinta

Isto no coração.

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.